A sua Igreja Encoraja e Capacita as Mulheres para o Discipulado?

estudoBiblico-PG-jul2015.jpg

Eu havia falado sobre o tópico da feminilidade bíblica e uma mulher em idade universitária me fez uma profunda pergunta: Como posso pensar biblicamente sobre a minha feminilidade quando me dizem constantemente que independência é poder e que eu deveria buscar minha própria satisfação e determinar meu próprio destino?

Minha resposta: “Dirija-se a mulheres piedosas na sua igreja e peça que elas falem sobre a verdade da feminilidade bíblica para a sua vida. Peça que elas mostrem a você como viver para a glória de Deus como mulher”. Mas depois eu me perguntei: “A igreja dessa moça está preparando as suas mulheres para respondê-la?” Alguém está ensinando mulheres e meninas sobre o que significa ser mulher. Mas será a igreja ou o mundo?

Mulheres mais velhas discipulando mulheres mais jovens não é apenas uma ideia elegante que alguém inventou, e não é opcional. É um imperativo do evangelho. O apóstolo Paulo escreveu:

Semelhantemente, ensine as mulheres mais velhas a serem reverentes na sua maneira de viver, a não serem caluniadoras nem escravizadas a muito vinho, mas a serem capazes de ensinar o que é bom. Assim, poderão orientar as mulheres mais jovens a amarem seus maridos e seus filhos, a serem prudentes e puras, a estarem ocupadas em casa, e a serem bondosas e sujeitas a seus maridos, a fim de que a palavra de Deus não seja difamada. (Tito 2.3-5 NVI).

À luz dessa passagem, consideremos algumas questões que ajudarão a igreja a chamar as mulheres para investir esforços nas mulheres mais jovens. Oro para que este breve artigo desafie mulheres a responder a esse sublime e santo chamado.

A ordenança de Tito 2

A ordenança de Tito 2.3-5 é que as mulheres mais velhas discipulem as mais jovens, ensinando-as a crescer em piedade em seus distintos relacionamentos e chamados.

Alguns dos princípios de discipulados embutidos nesse incrível capítulo nos ajudarão a entender a específica diretriz para mulheres nos versículos 3 e 5.

Princípio número 1: A igreja é responsável por encorajar e capacitar mulheres para discipularem umas às outras

No versículo 1 Paulo profere suas instruções sobre discipulado para Tito, o pastor. Visto que mulheres treinando mulheres é parte integral do ministério da igreja, Tito deve capacitar as mulheres em sua igreja para fazê-lo. Portanto, é responsabilidade de todo líder da igreja se certificar de que as mulheres estão equipadas para tal chamado.

Princípio número 2: A igreja deve ensinar a sã doutrina

No versículo 1, Paulo manda que Tito ensine a sã doutrina, doutrina que é saudável ou integral. Isso nos mostra que mulheres discipulando mulheres deveria fluir do ministério de pregação regular da igreja e ser consistente com ele. Tal discipulado deveria ajudar as mulheres a aplicar a sã doutrina à vida diária e aos relacionamentos.

Princípio número 3: A comunhão dos santos

Ainda assim, os versículos 3, 4 e 5 nos dizem também que o discipulado não é responsabilidade apenas dos líderes da igreja (veja também Efésios 4.11-16). Assim como a Confissão de Fé de Westminster declara: “Todos os santos que pelo seu Espírito e pela fé estão unidos a Jesus Cristo, seu Cabeça, […] e, estando unidos uns aos outros no amor, participam dos mesmos dons e graças e estão obrigados ao cumprimento dos deveres públicos e particulares que contribuem para o seu mútuo proveito, tanto no homem interior como no exterior”.

Discipulado bíblico é relacional. O conteúdo do evangelho deveria ser ensinado no contexto de relacionamentos que validem o evangelho. Nosso relacionamento com Deus é pessoal, mas tal relacionamento também nos traz à comunidade com seus outros filhos adotados.

Homens e mulheres mais velhos têm a responsabilidade geracional de compartilhar seus dons e graças com homens e mulheres mais jovens. Eles devem contar as histórias de suas vitórias assim como de seus fracassos, e mostrar como as suas histórias são parte da grande história da redenção de Deus.

A ordenança de Tito 2 é discipulado vida-a-vida que guia e nutre para uma feminilidade cristã madura. É um ministério de cuidados maternais. Esse espírito de cuidados maternais é evidente na descrição de Paulo sobre seu próprio ministério para com os Tessalonicenses:

Todavia, nos tornamos carinhosos entre vós, qual ama que acaricia os próprios filhos; assim, querendo-vos muito, estávamos prontos a oferecer-vos não somente o evangelho de Deus, mas, igualmente, a própria vida; por isso que vos tornastes muito amados de nós. (1 Tessalonicenses 2.7-8).

Princípio número 4: O evangelho é a nossa motivação

Há desafios custosos nesse capítulo. Investigar as vidas dos outros custa energia e tempo. Isso significa assumir riscos relacionais. Por que deveríamos viver tão sacrificialmente?

Porquanto a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens, educando-nos para que, renegadas a impiedade e as paixões mundanas, vivamos, no presente século, sensata, justa e piedosamente, aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus (vv. 11-13).

Cristo veio e está voltando. Ele apareceu em graça como um bebê e voltará em glória como o Rei. Enquanto esperamos por essa gloriosa aparição, devemos fazer discípulos. A menos que sejamos motivados pelo evangelho, nos tornaremos desencorajados e fatigados.

Princípio número 5: O evangelho é poderoso

Paulo conclui com um eletrizante lembrete do poder do evangelho.

[Jesus] a si mesmo se deu por nós, a fim de remir-nos de toda iniquidade e purificar, para si mesmo, um povo exclusivamente seu, zeloso de boas obras (v. 14).

Alguns tipos de discipulados são específicos para idade e gênero, mas todo discipulado deve ser concentrado no evangelho. É Jesus quem nos redime e purifica. Para um pecador caído tornar-se zeloso a fim de fazer o que é bom, só a obra radical do evangelho. O resultado para o nosso investimento nas vidas de outros não é dependente de nosso próprio poder ou experiência. É apenas o poder do evangelho que pode transformar pecadores egocêntricos em discípulos cristocêntricos. E uma das maravilhas do discipulado guiado pelo evangelho é que mesmo que não vejamos essa transformação acontecer no discípulo, ela acontecerá em nós enquanto discipulamos outros.

Quem são as mulheres mais velhas?

A passagem não dá uma idade específica para as “mulheres mais velhas” que devem discipular as mulheres mais jovens. Dado o conteúdo do que elas devem ensinar, suas principais qualificações parecem se centralizar na maturidade espiritual. É claro que a idade cronológica fornece experiências de vida e perspectivas que são valiosas, mas a realidade é que toda mulher e menina cristã deve se considerar tanto uma mulher mais velha quanto uma mulher mais jovem. Devemos buscar mulheres que podem nos encorajar e capacitar para viver para a glória de Deus, mesmo que busquemos discipular outras mulheres na feminilidade bíblica.

Como a igreja local pode facilitar esse ministério?

Relacionamentos de cuidado maternal espiritual vêm em vários modelos e tamanhos. Não há uma fórmula. Um relacionamento do tipo Tito 2 pode ser regular ou intermitente; entre duas pessoas ou em um grupo; ocorre entre mulheres mais velhas ou moças; mas todo relacionamento do tipo Tito 2 terá um propósito. Será um esforço intencional para encorajar e capacitar outra mulher ou menina a viver para a glória de Deus, sob a autoridade da Palavra de Deus, e isso a treinará em princípios bíblicos de feminilidade.

Tal ministério não é um programa; é um estilo de vida. Contudo, às vezes, são necessários esforços mais programáticos para dar a partida nesses relacionamentos. O ministério feminino é um veículo que a igreja pode usar para desafiar e capacitar mulheres para esse chamado. Se uma igreja já tem um ministério feminino, ela pode começar fazendo algumas perguntas estratégicas:

  • Como o ministério feminino está capacitando a nossa igreja a obedecer Tito 2.3-5?
  • Como o nosso ministério de discipulado reflete os princípios do discipulado em Tito 2?
  • Como as mulheres estão sendo equipadas a treinar mulheres mais jovens em princípios bíblicos de feminilidade?
  • Quais oportunidades fornecemos para desenvolver relacionamentos estimulantes entre mulheres mais velhas e mulheres mais jovens?

Quer uma igreja tenha uma abordagem mais formal, programática ou busque encorajar relacionamentos como em Tito 2 de forma mais informal e orgânica, cabe a cada igreja decidir. Aqui estão alguns recursos que podem ser úteis para encorajar tal ministério, qualquer que seja o seu modelo (incluir aqui a seguinte nota de rodapé: As informações aqui sugeridas são de um site em inglês.)

  • Biblical Foundations for Womanhood (Fundamentos Bíblicos para a Feminilidade), uma série de livros que ensinam os princípios da feminilidade bíblica. Há um guia do líder para cada livro. Para mais informações, visite o site da PCA Christian Education and Publications e clique em Women’s Ministries.
  • Um modelo de discipulado de pequenos grupos baseado em Tito 2, incluindo uma estratégia sugerida para implementar esse modelo.
  • TRUE, um currículo de 3 anos sobre feminilidade bíblica para moças adolescentes.

Onde estão as mulheres mais velhas?

Onde estão as mulheres mais velhas? Eu acredito que elas estejam sentadas nos bancos de nossas igrejas esperando para ser cativadas por esse chamado bíblico e equipadas para cumpri-lo.

 

Via http://www.ministeriofiel.com.br

Anúncios
Esse post foi publicado em Mulher Virtuosa. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s